O Diabo de Cada Dia: O Terror Fascinante da Netflix

Intrigante. Incômodo. Alucinado. O filme O Diabo de Cada Dia mal estreou na Netflix e já tem dado muito o que falar. Com críticas fortes e explícitas, o filme faz se sentir desconfortável quem o assiste por abordar temas sensíveis que a sociedade prefere esconder debaixo do tapete: a sátira ao fanatismo e hipocrisia religiosos, a pedofilia velada dentro de igrejas, corrupção na polícia.  É um terror psicológico, que apesar de não ter exorcismos, espíritos e experiências sobrenaturais, mexe com a cabeça de quem está assistindo e te faz roer as unhas. O filme se passa durante os anos 60, e conta a história de personagens bizarros que surgiram após o final da Segunda Guerra Mundial.

Com um elenco escolhido a dedo, a história ganha vida graças às excelentes atuações de nomes como Bill Skasgard (It, a coisa), Sebastian Stan (Vingadores), Robert Pattison (O Farol), Mia Wasikowska (Alice, no País das Maravilhas) e Tom Holland (Homem-Aranha, de volta ao lar).

Vale dizer que este filme, em especial, foi um desafio para o jovem ator Tom Holland. Conhecido por dar vida ao personagem Homem-Aranha nos filmes da Marvel. Holland admite ter treinado muito o sotaque para interpretar um personagem tão diferente do que o público está habituado a ver. Nos filmes do Super-herói, é muito fácil se apaixonar pelo garoto amigo da vizinhança que conta piadas, fala besteiras, se apaixona, salva o mundo. Mas em O Diabo de Cada Dia, nos deparamos com um Tom quieto, sombrio, cheio de raiva e traumas do passado que o fazem se tornar uma pessoa agressiva.

O filme é uma tragédia do início ao fim. E apesar de mostrar o pior do que a natureza humana têm a oferecer, o filme consegue te fazer sentir, ao mesmo tempo, empatia, indignação, e principalmente frustração diante de personagens tão “ferrados” psicologicamente.

Inspirado no romance de Donald Pollock, o filme mistura passado e presente, e interliga, a medida do desenrolar da trama, as histórias de um casal serial killer, um veterano de guerra perturbado, um pastor fanático. Fazendo uma sucessão de tragédias banhadas de violência, mas sem perder o lado cômico. É uma ótima dica para quem gosta de filmes no estilo Corra, Fragmentado e Garota Exemplar. E que te deixam pensando na história por durante dias.

Com uma fotografia bonita e um final surpreendente, O Diabo de Cada Dia vale a pena ser visto, apreciado e principalmente refletido, pois nos mostra de maneira chocante, que as pessoas nada mais são do que aquilo que a vida fez com elas.